Principais curiosidades sobre o Enem

Prova realizada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), o ENEM foi criado em 1998 para avaliar a qualidade do ensino médio brasileiro. Em mais de 20 anos de história, o maior exame de vestibular do país passou por várias mudanças e acumula curiosidades impressionantes.

A realidade era outra quando o exame foi criado

Se hoje o ENEM junta milhões de jovens em uma prova dividida em dois dias de aplicação, no início, em 1998, a realidade era totalmente distinta.

Naquela edição, apenas 157.148 inscritos foram registrados. Além disso, nas primeiras provas, 63 questões de múltipla escolha e uma redação dissertativa compunham a prova.

A prova também era relativamente mais fácil, com questões menos complexas e mais interpretativas. Quem confirma é Fabrício Cortezi, gerente pedagógico do Sistema pH e que realizou o exame em 1999: “As questões eram muito simples, tinham menos conteúdo e exigiam mais interpretação de texto. Apesar de ter sido aplicada apenas numa tarde, eu me lembro de ter saído de lá muito cansado”.

Se hoje em dia é possível entrar em contato com o inglês de diversas formas pela internet, até mesmo através dos quadrinhos, quando o Enem foi criado a realidade era diferente, pois a rede era restrita a uma pequena parcela da população. Dessa maneira, os estudantes tinham mais dificuldade em encontrar conteúdo especializado — principalmente para língua estrangeira.

Segundo maior exame de acesso ao ensino superior do mundo

O Brasil tem a sexta maior população do mundo com mais de 210 milhões de pessoas e só está atrás do Paquistão, Indonésia, Estados Unidos, índia e China, respectivamente.

Ao aliar o alto número da população com o sucesso de popularidade do Enem, consequentemente o exame se torna um dos mais populares do planeta.

Segundo estimativas do governo brasileiro, o Enem é o segundo maior exame de acesso ao ensino superior do mundo quando o assunto é o número de inscritos. Apenas o Gaokao, que é a prova chinesa equivalente ao Enem, bate em popularidade.

Possibilidade de uso do nome social

O Enem está se adequando com a nova realidade das mudanças sociais e uma delas está na abertura da possibilidade dos participantes utilizarem um nome social.

Dessa maneira, desde 2014 cidadãos transexuais e travestis podem colocar seus respectivos nomes sociais nas inscrições. A porcentagem de pessoas utilizando esse recurso está cada vez maior no exame.

Em 2017, por exemplo, mais de 300 candidatos fizeram uso desse recurso, o que representou um aumento de quase três vezes em relação a 2014.

Nota alta dos treineiros

Todos os anos os treineiros podem participar do exame. E quem se enquadra nesse tipo de participante?

Para quem não sabe, os treineiros são os estudantes com menos de 18 anos na data da prova que concluirão o Ensino Médio em anos seguintes ao da aplicação da prova e que podem realizar o Enem.

Sendo assim, suas respectivas notas não são úteis para ingressar na universidade ou participar de programas do governo. Os treineiros, portanto, realizam a prova como método de avaliação própria.

As notas são divulgadas 60 dias depois dos participantes regulares. Uma curiosidade é que, em 2017, um estudo do INEP chegou à conclusão de que os treineiros tiveram um desempenho melhor do que os participantes que estavam cursando o 3º ano.

A maior diferença nas notas foi nas Linguagens e Códigos, quando os treineiros tiveram média de 570,6, contra apenas 516,8 dos alunos do 3º ano.

Esquema de segurança pesado

Não é fácil fazer com que a prova não vaze antes do momento de sua aplicação. Em 2012, ano em que houve um altíssimo número de inscritos para o exame, o esquema de segurança custou mais de R$ 260 milhões para o governo.

Ao realizar um forte esquema de segurança, a chance de fraudes e erros nas correções diminui significativamente.

Para tornar a logística da prova totalmente segura, é necessária a participação das Polícias Federal, Civil e Militar, além do auxílio do Exército e dos Correios. O transporte das provas às escolas, por exemplo, é realizado através de um comboio de segurança com caminhões vigiados por satélite que só abrem as portas remotamente e com toda autorização devida.

A partir do momento em que as provas chegam às escolas e locais de aplicação, elas ficam sob vigilância de seguranças armados até o dia da aplicação do exame.

Como se inscrever para o Prouni 2020?

O Prouni, Programa Universidade para Todos, abrirá, em breve, as inscrições para a edição de 2020, em milhares de Instituições Particulares; distribuídas nas diversas regiões brasileiras.

Como se inscrever para o Prouni 2020?

O candidato interessado deverá acessar o sistema do Prouni, e preencher os dados relativo à inscrição.

Para efetuar a inscrição, o candidato deve informar o número de inscrição do Enem 2019 e a senha mais atual cadastrada no referido Exame.

Quem poderá se inscrever?

Podem se inscrever candidatos brasileiros que não tenham diploma de curso superior e que tenham participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019.

Requisitos para Participar do Programa

Além de fazer o Enem 2019, o candidato deve:

  • Ter cursado o ensino médio completo em escola pública, ou em instituição privada como bolsista integral;
  • Possuir alguma deficiência; ser professor da rede pública;
  • Estar enquadrado no perfil de renda exigido pelo programa.

Modalidades de Bolsas oferecidas

O ProUni oferece bolsas de estudo integrais (100%) e parciais (50%) em cursos de graduação de instituições privadas de ensino superior.

  • As bolsas integrais são destinadas aos estudantes com renda familiar bruta per capita de até 1,5 salário mínimo.
  • As bolsas parciais contemplaram os candidatos que têm renda familiar bruta per capita de até 3 salários mínimos.

Na primeira edição do Prouni 2019, foram oferecidas 244.186; sendo 116.934 integrais e 127.252 parciais.

  • O Estado de São Paulo lidera o oferecimento de bolsas que totalizam 59.240 bolsas, sendo 34.752 parciais e 24.488 integrais.
  • O Estado de Minas Gerais está em segundo lugar com oferecimento de 23.142 bolsas, sendo 11.010 integrais e 12.132 parciais.
  • O estado do Paraná está em terceiro lugar com oferecimento de 18.847 bolsas, sendo 8.668 integrais e 10.179  parciais.

Prouni 2020: Prazo para adesão das Instituições está disponível

O prazo referente à adesão das Instituições ao Prouni 2020 foi divulgado  pelo Ministério da Educação hoje, dia 6 de novembro de 2019, pelo Edital nº 66.

Prouni 2020: Adesão das Instituições de Ensino

Abaixo os prazos para que as Instituições de Ensino possam aderir ao Programa Universidade para Todos:

  • Manifestação de Interesse: As instituições terão do dia do dia 7 de novembro de 2019 até as 23 horas e 59 minutos do dia 14 de novembro de 2019.
  • Período para adesão: o prazo será do dia 7 de novembro de 2019 até as 23 horas e 59 minutos do dia 25 de novembro de 2019.
  • Período para emissão de termos de aditivos ao processo seletivo do Prouni 1º semestre de 2020: o prazo será do dia 7 de novembro de 2019 até as 23 horas e 59 minutos do dia 25 de novembro de 2019.
  • Período para retificação dos termos aditivos ao Prouni: será do dia 2 de dezembro de 2019 até as 23 horas e 59 minutos do dia 6 de dezembro de 2019.

Documentos para adesão

Para fins de adesão ao Prouni, a certidão regularidade fiscal expedida conjuntamente pela Secretaria da Receita Federal do Brasil – SRFB; e pela Procuradoria Geral da Fazenda Nacional – PGFN, referente a todos os tributos federais e à Dívida Ativa da União.

Prouni

O Programa Universidade para Todos – Prouni tem como finalidade a concessão de bolsas de estudo integrais e parciais; em cursos de graduação e sequenciais, de formação específica, em instituições de ensino superior privadas.

Quem pode participar?

O Prouni, Programa Universidade para Todos é dirigido aos estudantes egressos do ensino médio da rede pública; ou da rede particular na condição de bolsistas integrais; com renda familiar per capita máxima de três salários mínimos.

O Programa conta com um sistema de seleção informatizado e impessoal, que confere transparência e segurança ao processo.

Como é feita a seleção de Candidatos?

Os candidatos são selecionados pelas notas obtidas no Exame Nacional do Ensino Médio – Enem conjugando-se; desse modo, inclusão à qualidade e mérito dos estudantes com melhores desempenhos acadêmicos.

Prouni 2019/2: MEC divulga resultado da lista de espera

O Ministério da Educação divulgou o resultado da lista de espera do Programa Universidade para Todos (ProUni). A lista já está disponível para consulta pelas instituições de ensino superior privadas participantes do programa. As inscrições do Prouni 2019/2 foram realizadas de 11 a 14 de junho de 2019.

Todos os candidatos que estão na lista deverão ir às instituições apresentar a documentação de comprovação das informações prestadas na inscrição.

A lista de espera do Prouni estará à disposição das instituições com a classificação dos estudantes por curso e turno, segundo as notas obtidas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2018.

O prazo para que os candidatos que integram a lista compareçam às faculdades onde concorrem a uma vaga começa amanhã (19) e vai 22 de julho. A lista com a documentação necessária está disponível na página do ProUni.

A lista de espera será, então, usada pelas próprias instituições para preencher as bolsas de estudos que não foram ocupadas nas duas chamadas regulares do programa.

ProUni 2019/2

Ao todo, serão ofertadas para o segundo semestre deste ano 169.226 bolsas de estudos em instituições particulares de ensino superior, sendo 68.087 bolsas integrais, de 100% do valor da mensalidade, e 101.139 parciais, que cobrem 50% do valor da mensalidade.

As bolsas integrais são destinadas a estudantes com renda familiar bruta per capita de até 1,5 salário mínimo. As bolsas parciais contemplam os candidatos que têm renda familiar bruta per capita de até 3 salários mínimos.

O ProUni é voltado para candidatos que não tenham diploma de curso superior e que participaram do Enem 2018.

Os estudantes devem ter cursado o ensino médio completo em escola pública ou em instituição privada como bolsistas integrais. É preciso ainda ter obtido nota mínima de 450 pontos na média aritmética das notas nas provas do Enem.

Também podem participar do programa estudantes com deficiência e professores da rede pública.

Bahia registra mais de 171 mil inscrições no Enem 2019 em menos 36 horas

Mais de 171 mil pessoas já se inscreveram para o Enem 2019 na Bahia, da manhã da última segunda-feira (6), quando as inscrições foram abertas, até às 21h40 de terça-feira (7), segundo balanço do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela aplicação das provas.

Em todo o país, o órgão disse já terem sido realizadas mais de dois milhões de inscrições.

A Bahia foi o terceiro estado com maior registro de inscrições nas primeiras 36h, perdendo apenas para São Paulo (314.494 inscritos) e Minas Gerais (194.390).

Os estados com menos inscrições até então foram Roraima (0,27%), Acre (0,75%), Amapá (0,84%) e Tocantins (0,84%).

As inscrições para o Enem 2019 seguem até as 23h59 do dia 17 de maio. Os candidatos devem fazer o cadastro no site oficial da prova (https://enem.inep.gov.br/participante/#!/inicial).

Inscrições

Neste ano, a taxa de inscrição custa R$ 85 e deve ser paga até 23 de maio em agências bancárias, casas lotéricas e Correios.

Atenção: mesmo aqueles estudantes que obtiveram a isenção da taxa devem se inscrever no Enem.

É necessário entrar no site do exame e informar o número do CPF e do RG. Será criada uma senha de acesso que também permitirá verificar o cartão de confirmação e os resultados do candidato. Também é preciso ter um número de celular e um e-mail válidos para que o Inep, que organiza a prova, envie comunicados.

Segundo o órgão, até 17 de maio será possível atualizar dados de contato, trocar o município de provas, mudar a opção de língua estrangeira e alterar atendimento especializado e/ou específico.

Para os candidatos que precisam dessa atenção diferenciada, como pessoas com deficiência ou lactantes, a solicitação deve ser feita também até 17 de maio.

Entre 20 e 24 de maio, será possível fazer a solicitação de atendimento pelo nome social – caso o participante transexual prefira não ser chamado pelo nome do registro civil.

Prazo para inscrição nas vagas remanescentes do Prouni 2019 termina nesta terça

Termina nesta terça-feira (30) o prazo para estudantes matriculados em instituições de ensino superior se inscreverem para uma das bolsas remanescentes do Programa Universidade Para Todos (Prouni). O cadastro pode ser feito no próprio site do programa.

Para quem ainda não estava matriculado, o prazo acabou na última sexta-feira, dia 26 de abril. O Prouni oferece bolsas integrais destinadas aos estudantes com renda familiar bruta mensal de até um salário mínimo e meio por pessoa.

Já as bolsas parciais contemplam os candidatos que têm renda familiar bruta mensal de até três salários mínimos por pessoa.

Prouni 2019 recebe inscrições para bolsas remanescentes

Candidatos interessados em bolsas de estudo remanescentes do Programa Universidade para Todos (Prouni) podem fazer a inscrição até o dia 29 de março. Aqueles que estudantes que já estejam matriculados na instituição de ensino e que queiram pleitear a bolsa têm um prazo maior, até dia 30 de abril.

Podem participar:

professores da rede pública, que estejam trabalhando em alguma instituição no momento e que queiram uma bolsa de estudos em cursos ligados ao exercício da licenciatura;
participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que tenham feito qualquer edição da prova após 2010 e tirado, no mínimo, 450 pontos de média. É necessário nota superior a zero na redação.

Critérios de renda

Os candidatos também devem se encaixar nos seguintes critérios de renda:

  • Bolsas integrais: renda familiar bruta mensal per capita de até 1,5 salário mínimo
  • Bolsas parciais: renda familiar bruta mensal per capita de até 3 salários mínimos

Regras gerais

Seja para buscar uma bolsa parcial ou uma integral, é preciso se enquadrar em uma das seguintes condições:

  • ter cursado o ensino médio completamente em escola pública;
  • ter cursado o ensino médio completamente em escola privada, desde que na condição de bolsista integral;
  • ter cursado o ensino médio parcialmente em escola privada, desde que na condição de bolsista integral;
  • ter alguma deficiência;
  • ser professor do quadro permanente de uma escola pública (nesse caso, o critério de renda familiar não se aplica).

Quem for pré-selecionado deve levar uma série de documentos até a instituição de ensino. A intenção é comprovar que respeita as normas listadas acima (renda, formação escolar, etc.).

MEC divulga resultado da lista de espera do ProUni 2019/1

O Ministério da Educação (MEC) divulgou o resultado da lista de espera do Programa Universidade para Todos (ProUni 2019) aos estudantes que se inscreveram para concorrer a bolsas de estudo integrais e parciais em universidades privadas do Brasil. A lista está disponível no portal oficial do programa desde a manhã desta segunda-feira (11) e pode ser acessada com o número de inscrição e a senha do candidato no Enem 2018.

Os estudantes convocados na lista de espera do ProUni 2019 devem comparecer às instituições de ensino selecionadas, entre os dias 12 e 13 de março, para a realização da matrícula, durante o horário de atendimento, com os documentos necessários que comprovam as informações prestadas na ficha de inscrição e que são informados na página do programa.

A lista de espera esteve aberta entre os dias 7 e 8 de março, para os candidatos que não foram convocados na segunda chamada, divulgada no dia 20 de fevereiro. Os estudantes aprovados nesta última lista deverão preencher as bolsas remanescentes nas instituições privadas do país.

Os candidatos selecionados ainda têm a possibilidade de requisitar uma Bolsa de Permanência, a fim de ajudar com os custos dos estudos, e podem também usar o Fundo de Financiamento Estudantil ( Fies ) para financiar a parte da mensalidade que não foi coberta pelo programa.

Ao todo, 946.979 candidatos se inscreveram nesta primeira edição do ProUni 2019, segundo o MEC , a fim de concorrer dentre o número recorde de 243.888 bolsas de estudo oferecidas, sendo que, 116.813 eram bolsas integrais e 127.075 parciais (50% do valor da mensalidade), distribuídas em 1.239 instituições de educação superior em todo o país.

As inscrições do Prouni 2019 ficaram abertas dentre os dias 31 de janeiro e 3 de fevereiro, para estudantes que realizaram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2018, não possuíam diploma de nível superior e se encaixavam nos critérios de renda requisitados elo programa.